Meados do Séc. XIX.

Uma garota camponesa.

Um ser sobrenatural.

E a única salvação de uma vila.

{Trechos do Capítulo 1}

     Eu estava sozinha. Na verdade, sempre estive só… Não que fosse algum problema, mas sempre me senti estranha por crescer assim tão… solitária. Desde que perdi meus pais, com sete anos, fui “adotada” por um casal que já possuía cinco filhos. Uma garota magra, ruiva e órfã. E se você é uma camponesa de Allegra, da província de Dália que é uma região bastante supersticiosa… Digamos que seja muita sorte da minha parte ter dezessete anos e ainda estar viva. […]

     Sempre fui uma garota normal, e até tinha alguns amigos, mas quando a Igreja tomou força, os pais começaram a ter certo receio, e afastarem seus filhos de mim foi o primeiro passo. Atualmente, poucas pessoas me cumprimentam, e mais poucas ainda se limitam a me olhar. Exceto Amon, o dono da pequena biblioteca a poucos quarteirões da casa em que vivo. Talvez o pouco conhecimento que ele possui seja o suficiente para ele saber que, bem, para ser uma bruxa é necessário muito mais do que ter apenas um cabelo vermelho… […]

     Mas não sou uma bruxa.

     Em um dia incomum, decido colher algumas flores pela estrada fora da cidade. Mas não percebo que estou próxima demais da Floresta de Aimée. Uma floresta que circunda quase toda a vila, e abriga um dos rios que nos abastecem, o rio Elior. Dizem que apenas os corajosos realmente se aventuram nela, e muitos poucos voltam para contar histórias. Olho para a floresta a poucos metros de mim e me pergunto o que será que há nela, e porque as lendas assustam tanto as pessoas… Até que a tentação me vence. Olho para imensidão escura que há na minha frente e sinto um arrepio percorrer meu corpo, estou aqui e não vou voltar atrás. Entro. […]

     A floresta é linda por dentro. Não tão escura como se parecia do lado de fora. Árvores grandes que parecem chegar aos céus, formam uma espécie de cobertura, mantendo o ambiente ali dentro mais ameno e até meio úmido. Há samambaias, musgos em pedras e árvores caídas, porém todas perfeitamente intocadas. Sinto-me quase uma intrusa e tento caminhar com o máximo cuidado. O silencio reina. […]

     Não caminho muito, e a mais ou menos oitenta metros avisto o que parece ser uma casa abandonada… sinto um arrepio novamente. Algo dentro de mim me diz para eu não me aproximar… quando estou a quase dois metros dela, escuto um barulho. Mas não um barulho qualquer… parece um gemido. Um gemido de um animal morrendo. E coisas rasgando… E quebrando. Olho em volta para saber de onde vem o som e paraliso com o que vejo. Meu coração acelera. Dou um passo para trás e sem querer piso em um graveto.  Um pequeno e maldito graveto. Penso em correr, mas é tarde demais. Ele já me ouviu, e agora me encara. […]

     A maior Fera… Besta… Lobo… – seja lá o que isso for – que já vi na minha vida…


Capa-mabelle2

Autora: VicMakay

Wattpad: @VicMakay

Livro: Mabelle

     Oláá pessoal! Aqui quem fala é a VicMakay, sou apaixonada por livros, e comecei a arriscar escrever recentemente. Mabelle, é a primeira história que decidi postar no Wattpad, mas já tenho alguns projetos em mente.

     Por isso eu os convido a conhecer mais um pouco sobre Mabelle, com todos os mistérios e desafios a serem desvendados. Caso aceite, seja bem-vindo a Allegra! Só tome cuidado…. Com o que você é. Em quem você confia…. Esta pode ser uma vila pacata, mas ela guarda muitos segredos… E esses segredos podem mudar a sua vida.

livrosemeusvicios


Recado do Taverneiro: Esse post é um dos primeiros, onde eu ficava mais nas sombras e deixava o autor se apresentar, com um trechinho do seu trabalho. As coisas não são mais assim XD