Esse é mais um post da nossa serie mitológica aqui da Taverna, se quiser saber mais, só dar uma olhada aqui nesse link! ^^

   Olá, galera! Chegou a hora de falarmos um pouco sobre o livro Lugar Nenhum. Uma obra bem interessante e original, além de ser o primeiro romance de Neil Gaiman. Mas é melhor voltarmos alguns anos no passado para eu contar essa história direito:

   Em 1996, o canal BBC Two deu início a exibição da serie Neverwhere (ou Lugar Nenhum como conhecemos aqui) escrita, pelo já renomado, Neil Gaiman. Isso mesmo, Deuses Americanos não é a primeira obra desse autor a ser produzida para televisão! A diferença é que Lugar Nenhum não foi uma adaptação de um livo como Deuses Americanos. Gaiman escreveu o roteiro para série e se deparou com cortes, mudanças no texto original e um resultado nada satisfatório no final, o que o motivou a lançar seu primeiro livro, com o mesmo enredo e personagens do programa de TV, além de muito do que foi cortado. Assim, o livro Lugar Nenhum acabou agradando bastante e alcançando o sucesso mundial.

lugar nenhum (4)
Esse é o cara!

Quem conhece o autor sabe da sua habilidade invejável de criar mundos ricos com histórias originais e em Lugar Nenhum não é diferente. Tudo começa quando Richard Mayhew, um rapaz bastante comum, consegue um ótimo emprego e se muda para Londres, construindo uma vida estável (e bem chata), onde seus grandes desafios vão de sua dificuldade em honrar compromissos até lidar com o temperamento autoritário de sua superficial noiva Jessica.

   Entretanto, as coisas mudam quando Richard se depara com uma garota ferida no trajeto para um importante jantar. Ignorando os protestos da noiva (que nem mesmo havia notado a garota), ele socorre a estranha e a leva para casa, e aqui começa a ruptura com o mundo conhecido.

   Door, como é chamada a misteriosa personagem, recupera-se e vai embora, mas não sem antes mudar a vida do protagonista para sempre. Ele passa a ser ignorado por todos a sua volta, até mesmo no trabalho e pela família. Simplesmente, é esquecido, como se nunca tivesse existido, chegando, até mesmo, a encontrar outras pessoas morando no seu apartamento. Assim, solitário por completo, Richard descobre a Londres subterrânea, um lugar tão invisível para a Londres de cima como ele próprio agora o é.

   Nessa nova cidade labiríntica e imunda, habitada pelos marginalizados, o rapaz reencontra Door, empenhada em desvendar o assassinato de toda sua família, e se une a garota na esperança de ter sua vida de volta. Inicia-se uma jornada perigosa na qual monstros, assassinos e segredos se revelam.

lugar nenhum (3)
Da esquerda para direita: Richard Mayhew e… Bem, vocês vão ter de ler o livro pra conhecer o resto.

   O livro tem uma estrutura que lembra, de fato, um roteiro com a cenas divididas em alguns pontos de vista, sem ficar preso no olhar do protagonista, entretanto, não perde suas qualidades literárias. A escrita é bem fluida e impregnada com afiado senso de humor britânico.

   Dentro da diversidade de personagens inventivos em Lugar Nenhum, Richard Mayhew é apagado e inseguro, não há nada de muito heroico nele no começo, mas a cada situação bizarra, o protagonista cresce um pouco, até os momentos decisivos da trama, onde há escolhas que só ele pode fazer e percebemos o quanto a personagem ganhou força para decidir o que deseja se tornar.

   Há algo de perturbador nos habitantes da Londres Subterrânea. Quase sempre maltrapilhos, comendo porcarias e colecionando lixo (quando mencionei que a cidade era imunda não foi à toa). E existe muita magia e mitologia neles também. É como se o livro declarasse que há algo de extraordinário no mais banal dos moradores de rua. Logo no começo, quando Richard socorre Door, podemos refletir que quase todo mundo, na verdade, agiria como Jessica, ignorando uma pobre necessitada até o ponto de ela se tornar invisível, tal qual muitos dos marginalizados para os quais viramos a face todos os dias nas ruas.

lugar nenhum (2)

   Lugar Nenhum foi primeiramente lançada pela Conrad aqui no Brasil e agora conta com a edição preferida do autor da editora Intrínseca cuja a introdução foi escrita pelo próprio Gaiman, conta com uma cena extra e também um conto.

   Caso você decida conferir o que Neil Gaiman tem a contar nessa obra, provavelmente não vai se arrepender. Desde os pequenos aos grandes detalhes, há experiências intrigantes aqui, com as quais o sucesso se justifica. É algo fascinante de se conhecer.

   Ah! Um adendo: Existe uma Grafic Novel de Lugar Nenhum baseada no livro! (o que significa que é uma adaptação da adaptação) Eu ainda não pude conferir, mas deve ser muito bacana. As edições foram todas lançadas pela Panini por aqui há um tempo atrás.

   Mais um adendo: Caso você se depare com um mendigo conversando sozinho na rua, muito cuidado! Ele pode estar com um habitante invisível de uma cidade mágica subterrânea. Até mais!

Capa comum: 336 páginas
Editora: Intrínseca (22 de junho de 2016)

Links de compra da Taverna: Amazon / Saraiva / Submarino

lugar nenhum (5)

Anúncios