Este post faz parte da série Manual do Escritor da Taverna. Por aqui, já falamos sobre como começar sua história e sobre o poder do narrador. Agora, chegou a hora de explicarmos como os conflitos tornarão sua história especial.


       Alguma vez você já se perguntou o que fez o livro Harry Potter ser um grande sucesso? Claro que há o mundo mágico ricamente desenvolvido, os personagens carismáticos e a trama muito bem construída. No entanto, o que manteve os leitores grudados na obra para eles descobrirem todos esses elementos? Bem, pense no fato de que Harry era um órfão que não tinha escolha a não ser aguentar os maus-tratos dos tios. Pense em todas as vezes que ele teve de lidar com o bullying de Malfoy, além do perigo, sempre crescente, de Voldemort, que assassinou seus pais e estava o tempo todo à espreita. Entre tantos outros problemas, a resposta para o sucesso está nos conflitos.

METIII (1)
Sim, Harry tem muitos problemas, mas sempre tenta sair deles da forma mais honesta possível.

   Mesmo sem que o leitor perceba, o conflito é o que o mantém preso à história. As limitações e empecilhos com os quais os personagens tem de lidar são a isca. O leitor será fisgado pela curiosidade de descobrir a reação deles e se eles terão ou não sucesso ao tentarem superar seus desafios.

   Além disso, durante os conflitos, os personagens mostram quem são de verdade. Saberemos se eles têm coragem para enfrentar as adversidades, se o método que eles empregam para se livrar de um problema é justo, se eles conseguem alcançar seus fins sem ferir o próximo, e etc. O caráter fica exposto à medida que eles reagem e o leitor tem a oportunidade de se identificar cada vez mais com a obra.

 (Nos próximos dois parágrafos, darei exemplos, usando a trama da grafic novel Sandman. Pode conter SPOILERS.)

   Em Sandman de Neil Gaiman, existe um arco chamado Estação das Brumas cujo conflito central é muito interessante. Morpheus, o protagonista, recebe a chave do inferno das mãos do próprio Lúcifer que deseja mudar de vida e deixar aquele lugar para sempre. Morpheus poderia se tornar o novo senhor do mundo dos mortos e reger os demônios, mas ele não deseja nada disso para si. E, o pior, não pode simplesmente jogar a chave fora, pois seria perigoso demais se ela caísse em mãos erradas. A partir disso, ele começa a receber ameaças, chantagens e propostas de todo tipo de entidades e deuses que desejam o objeto.

   Veja como esse problema revela muito sobre Morpheus: Um personagem com sede de poder tomaria o inferno para si, um covarde cederia às ameaças e um personagem irresponsável jogaria a chave fora. Na verdade, a chave se tornou um problema pelo fato do protagonista ter um complexo senso de moral.

METIII (5)
Morpheus, o senhor do Sonhar

(Fim do SPOILER)

   O conflito é intrinsecamente ligado à concepção do personagem. Eles virão de encontro para testá-lo. Por isso, você deve conhecê-lo bem a fim de poder elaborar o que é uma adversidade significativa para ele. Vamos analisar alguns dentre tantos tipos de conflito:

   O Conflito Pessoal ocorrerá quando o personagem tiver de confrontar um rival. Poderiam ser dois príncipes disputando a coroa do pai e o reino. Duas mulheres tentando conquistar um mesmo pretendente. Um Cowboy em busca de vingança contra o fora da lei que lhe causou algum mal.

   O Conflito Interno virá quando o personagem tiver de enfrentar seus medos, preconceitos, timidez e etc. No livro Crime e Castigo o personagem principal precisa lidar com a culpa e o arrependimento pelo assassinato que cometera. Já Hamlet de Shakespeare precisa vencer a própria insegurança para se vingar do fratricídio sofrido pelo pai. Muitos super-heróis dos quadrinhos como Batman, Demolidor ou Superman já enfrentaram o dilema de poupar ou não a vida dos vilões.

METIII (3)
Morpheus também é cheio de problemas D:

   O Conflito Social ocorrerá quando o personagem tiver de enfrentar a sociedade, ou até a família para alcançar seus objetivos. Lembre-se que Romeu e Julieta enfrentaram seus familiares e preferiram a morte a viver separados. Em A Metamorfose de Franz Kafka, o personagem principal acorda transformado em um inseto gigantesco, causando muitos problemas para própria família que não sabe como resolver a situação. Falando em insetos, o Homem-Aranha também já teve de lidar várias vezes com a reação  da sociedade devido as notícias sensacionalistas que difamaram sua reputação nos jornais.

   O Conflito Ideológico ocorre quando o personagem luta por um ideal ou uma bandeira. Um exemplo é a Aliança Rebelde em Star Wars, lutando contra o império em prol da República na galáxia. Em Admirável Mundo Novo, o protagonista confronta as ideias rasas e frias da sociedade do futuro. Em V de Vingança, numa Inglaterra alternativa, temos um anti-herói que defende o anarquismo e luta para derrubar o governo autoritarista. O conflito ideológico é um elemento recorrente das distopias.

   Com exceção dos contos, que geralmente focam apenas em um único conflito, as histórias mais longas, em geral, possuem vários conflitos pequenos que nos conduzem ao central. No caso de Harry Potter, em todos os sete livros da saga o conflito central é a luta contra Voldemort, mas existem muitos outros problemas e mistérios que vão aparecendo e se resolvendo durante a trama. Como você pode notar, os conflitos vão brotando por todo o terreno fértil da narrativa feito ervas daninhas.

METIII (4)
No fim, todos esse problemas têm de servir para alguma coisa, como o amadurecimento dos protagonistas.

   São muitas as possibilidades e vão muito além desses exemplos que eu citei. Elas dependem da história de vida, personalidade, e sonhos dos seus personagens para acontecer. Mas é importante que elas os façam chegar a algum lugar. Quando alguém passa pelos conflitos, algo deve ser acrescentado nele. Ele pode reforçar uma ideia dentro de si ou mudar de opinião. Pode sair mais confiante ou inseguro. Pode torná-lo mais forte ou talvez o conflito o mate. A evolução é parte importante na trama e fecha o ciclo do Arco de Personagem. Ela está ligada com a mensagem que você pretende mandar para o leitor. Lembre-se que quanto mais originais forem os conflitos e maior a tensão que eles provocarem, melhor será sua história, além de mais incríveis as consequências dela.


Boa escrita e até a próxima!

Dicas 1 (6)