Ficha Técnica

A Incógnita do Despertar
Autor: Caio Nicolella
Editora: Autor Independente
Ano: 2017
Páginas: 363

Sinopse

O jogo começa agora:
O jogo de gato e rato…

Jack é um detetive que acredita estar preso em um ciclo constante, no qual revive sua vida após encontrar a derradeira morte em uma estrada. O responsável, acredita ele, encontra-se na escuridão e se revela na personalidade de um demônio em seus sonhos. Além de estar em uma sequência de acontecimentos, ele tem de lidar com suas escolhas em relação a um assassino em série que ronda Lost Grove, sua cidade natal.

Os mistérios que pairam sobre os eventos de sua vida vão se interligando, quando uma figura inusitada insiste em aparecer em seus devaneios, revelando novas inconsistências no que ele acreditava ser verdade. O seu passado cria várias sombras de dúvidas que mais tarde irão lhe mostrar uma terrível verdade. Até que ponto poderemos acreditar no que ele relata? A incógnita de seu despertar só obterá sua resposta quando ele estiver pronto.
Você está?

Resenha

Se você adora um suspense policial com toques macabros, recheado de muitos mistérios, com certeza essa deve ser a sua leitura da vez!

Numa narrativa alucinante em primeira pessoa, o autor nos ambienta na cidade misteriosa de Lost Grove. Vivemos juntos de Jack, o detetive que é o nosso personagem principal. Jack está perdido em meio à mata, dentro de uma cabana, o mesmo se vê preso em seus “loopings infinitos”.

A história de Jack inicia-se em sua juventude, junto dos amigos, em suas atividades comuns, e a cada capítulo vamos nos transportar entre o presente e o passado de sua vida. Mas o que é ” presente, passado e devaneio” nessa narrativa?

Por vezes, eu me senti agoniada e intrigada com os loopings. Já não sabia mais separar o real do devaneio (era um devaneio?). Não sabia se a cena em questão se tratava de um Déjà Vu, insanidade ou uma entidade maligna real oriunda, talvez, de um mundo paralelo e, com isso, fui me prendendo cada vez mais à narrativa.

E você acha que eu conseguia dormir ao final da leitura diária, após as misteriosas lacunas que foram-se abrindo durante a narrativa sobre a vida pessoal de Jack e do assassino em série? Claro que não! Creio que confabulei teorias até enquanto eu dormia rs.

Sabe quando você sonha que está em um local, realizando uma atividade qualquer e, num piscar de olhos, já se encontra em outro local, fazendo uma outra coisa completamente diferente? Ou quando você se sente engolido pelo cenário no qual você está no sonho? Existem muitas cenas assim, nesse livro e foi incrível poder montar todo esse cenário na minha mente. Parecia que eu própria era o Jack, sentindo tudo o que ele sentia.

O autor descreveu cenas bem sinistras e impactantes sobre as situações das vítimas do assassino em série. Eu me senti como num filme. Na verdade, não em um filme, e sim como numa cena real mesmo. Senti-me como uma perita criminal.

A busca pelo assassino em série faz um jogo com o leitor, e eu, com minhas teorias ao chegar no final do livro, percebi que todos os caminhos que me levavam até o culpado foram equivocados. Sim, todos os meus tiros acertaram fora do alvo… rs. Bom, descobri que essa não será minha profissão, afinal… rs.

É uma leitura surpreendente, cativante e muito fluida. Nem parece que é a primeira obra do autor. Caio conseguiu deixar cada lacuna aberta ser preenchida durante a narrativa, com maestria no desfecho. E que desfecho incrível! Fiquei chocada! Levei um tempo para digerir tudo.

Um suspense macabro, que mexe com seu psicológico do início ao fim. Só tenho uma palavra para você, amigo(a) leitor(a): LEIA!

Venha descobrir A Incógnita do Despertar, você também!

Se acaso você não tiver o Kindle (assim como eu), baixe o app para o celular e delicie-se nessa narrativa sanguinolenta. Quero ver você bancar o(a) detetive e encontrar o verdadeiro e real assassino em série. Depois de ler, volte aqui e me conte suas impressões, nos comentários.

Para adquirir a obra, acesse Amazon.