Olá, Viajantes!

Na resenha de hoje, falo sobre a obra “A Lenda de Materyalis”, do autor Saymon Cesar. Como sempre, fiquem tranquilos, pois é uma resenha livre de spoilers! Espero que apreciem!

download

Ficha Técnica

A Lenda de Materyalis (As Crônicas de Aliank #1)
Autor: Saymon Cesar
Editora: Novo Século
Ano: 2016
Páginas: 240

Sinopse

No princípio dos tempos, as sociedades de Hedoron acreditavam nos mandamentos dos servos de Materyalis, suposto deus criador do Universo e da vida. A lenda diz que a divindade se angustiou ao observar os atos corruptíveis das suas criaturas e atribuiu a si toda a culpa da imperfeição dos povos. Sua consciência atordoada separou sua essência em duas entidades, criadoras de ideologias extremistas que dividiram a crença das sociedades. Assim nasceu a materja, a guerra que visa a consolidação de uma verdade entre todas as raças. Avessa ao propósito da contenda milenar surge uma sociedade secreta, que busca o único artefato capaz de desvendar o que realmente foi Materyalis e, assim, livrar os povos da dúvida que os condenou aos intermináveis confrontos. Mas, para chegar ao objetivo, é necessário usar a misteriosa aptidão de cinco indivíduos habitantes de Aliank, um reino dominado por contradições que podem apressar a ruína do mundo antes que a verdade sobre Materyalis seja revelada.

Resenha

A narrativa inicia-se com uma carta do personagem Mudrik para Harcos, narrada, é claro, em primeira pessoa.

Mudrik é acusado de heresia. Por isso, está refugiado. Na carta, ele deixa orientações e objetos aos nove sucessores (dentre eles está Harcos) da ideologia venirista. Eles estão à procura do Sinkra, um objeto que supostamente detém a fórmula da criação da vida e dá a quem o possuir um enorme poder. Desejam, com ele, acabar com a guerra ideológica que dura há milênios entre as duas ideologias, conhecidas como Marilista e Teryonista, chamada de Marteja, pelos antigos.

Um dos artefatos deixados por Mudrik é o cristal esférico, o Sinkrorbe, que mostra o futuro próximo e é por meio dele que acompanhamos as profecias, as oito visões que Harcos presencia durante uma noite inteira. Esse artefato possui dia, horário e tempo (referente as estações do ano) corretos para ser administrado e obter resultados efetivos. Com essas visões, Harcos pretende encontrar pessoas que possuam habilidades para se juntar ao grupo em busca da Sinkra.

Após a carta de anotações iniciais e antes da primeira visão de Harkos, há um mapa do Reino de Aliank, que me ajudou bastante a me situar e a entender o funcionamento de tudo.

A trama foca nos ataques de Marjuk (uma espécie de urso bestial), porém há suspeitas de que seja a própria guardiã da floresta Majara, a metamorfa Dotter. As pistas indicavam ela pode estar por trás de tudo que vem acontecendo em torno do Reino. Portanto, dois Grankan, que possuem poderes específicos (Sarlakos um homem rude e genioso e Liliel uma elfa justa e destemida), são destinados à missão de investigar e trazer a julgamento o culpado. Sarlakos e Liliel são acompanhados por outros elfos Elorkans, possuidores de outros tipos de especialidades. Assim, pegam caminhos distintos, visando cobrir uma área maior.

Nesse sentido, cada núcleo de personagens aparecerá em uma visão do Sinkrorbe, mas, mesmo antes dessa divisão de equipe, Harcos já assistiu a algumas situações pelo Sinkrorbe (a propósito, a personagem herege Ridka ficou “meio de lado”, mas sinto que o autor fez propositalmente, pois haverá algo maior envolvido com ela).

A floresta de Majara guarda um segredo obscuro. Possui uma maldição que atinge todos os elfos. Então, para que eles possam entrar no local, usam uma proteção bem peculiar, pois correm risco de vida. Há outra coisa muito tenebrosa envolvendo Dríades (que não irei contar por conta de spoilers).

Esta obra contém dois seres incomuns às minhas leituras: um elfo alado e um elfo do mar, que é citado rapidamente (creio eu que seja um gancho para o próximo livro; acho incrível quando sou surpreendida assim).

Mas quem é Materyalis??? Ele é descrito na maior parte das ideologias como a divindade suprema, responsável pela criação de tudo. Já para outros, Materyalis é definido como um fenômeno de consciência parcial da gênesis. A incerteza acerca do assunto provocou a guerra ideológica entre diversas raças e que se estende por milênios.

O dragão Garlak (a coisa fofa e meiga da capa) jaz adormecido dentro de um vulcão e o personagem Berong (rei de Aliank) não aparece em nenhuma cena fisicamente, é apenas citado como resolvendo alguns problemas. Esse mesmo rei foi quem adormeceu o dragão. Suponho que algo de muito sinistro deve estar escondido nesse núcleo palaciano (outro belo gancho para me segurar). Talvez haja, até mesmo, pessoas disfarçando sua ideologia, infiltradas no palácio ou talvez até mesmo mais ideologias!

Com certeza, o autor terá várias mais coisas boas a apresentar nas próximas obras, usando os ganchos deixados e explorando novos caminhos, pois nessa obra em questão já fui surpreendida. Me vi em meio à guerra de ideologias (creio que ele poderá explorar tanto o passado quanto o futuro da trama, tomando este livro como base).

Esta obra possui linguagem, símbolos, seres, êxodo, mitologia, mundo e sistema de magia próprios. Abaixo, estão os dois estandartes das ideologias Teryonista e Marilista, respectivamente.

A prosa tem um ritmo agradável e constante. A leitura fluiu muito. Aquele tipo de leitura que você diz a si próprio: “Vou ler só mais um pouquinho por hoje…” No entanto, é impossível parar!

O autor desenvolveu e definiu muito bem a personalidade de cada personagem. Deu  a eles vida, muito além de apenas páginas viradas. Fiquei triste até com a morte de um guarda real (um personagem não tão importante de fato, ou seja, esse autor tem o dom de cativar o leitor).

As cenas de batalhas são incríveis, ricas em detalhes na descrição. Fiquei tensa, suei como os personagens e senti o sangue espirrando em mim.

Ao final do livro, há anotações que me clarearam muito a mente a respeito das ideologias, explicações acerca dos símbolos e acerca das oito visões de Harcos (que servirão de apoio para as próximas obras). Para quem curte um bom e velho RPG, à la D&D, com certeza essa obra é um prato transbordante.

Aguardo aqui ansiosamente pelo livro dois para contar para vocês! Aliás, ele está para ser lançado…

Conheça mais sobre a obra e o autor na Fan Page do Facebook: A Lenda de Materyalis.

Adquira o seu exemplar físico ou eBook na Amazon. Comprando por este link, você ajuda na manutenção do site. Muito obrigada! 😀

Vejo você em breve!