Olá, Viajante!

A obra que venho recomendar hoje a você é Ictus Vitae: o diário de Claudio, do autor Eduardo da C. Mendes.

Espero que curtam um Sci-Fi Nacional distópico com muito sangue e vísceras, porque é assim que eu amo minhas leituras: sangue escorrendo a cada página virada, muita pancadaria e aquele antagonista badass!

capa ebook

Ficha Técnica

Nome do livro: Ictus Vitae: o diário de Claudio
Autor: Eduardo da C. Mendes
Editora: Independente
Ano: 2014
Páginas: 460

Sinopse

Após o mundo ser devastado por uma guerra mundial, os remanescentes acabaram se reunindo para manter o conceito de sociedade de pé. Décadas depois da guerra, distritos tiveram de ser erguidos para separar os sobreviventes das zonas de radiação e do grande terreno infértil que o Brasil se tornou.
Acompanhe o sargento Claudio, supervisor do esquadrão eco, em missões cruciais para evitar que o primeiro distrito, seu lar, caía por terra. Mas pense que nem tudo será fácil em um mundo onde sua vida vale tanto quanto um punhado de comida. E se isso não for o bastante, tente lidar com os caçadores lá fora.

Resenha

Começo a resenha dizendo que, ao ler o prefácio, já me envolvi profundamente com o enredo e não consegui deixar a leitura do livro de lado. A curiosidade que me despertou foi grande.

Eu li este eBook todo pelo app do Kindle no celular (não tenho o Kindle ainda) e foi uma experiência incrível. Alguns já sabem que não curto ler em plataformas digitais, pois acho que quebra toda a magia da leitura (não segurar o livro nas mãos, o cheiro, a cor da capa, aquele ritual todo da maioria dos leitores, rs), mas este em específico não pude deixar de ler.

Bom, vamos à história!

O ano é 2078. Nosso protagonista é o Sargento Cláudio. O período é pós-Terceira Guerra Mundial. Brasília,  Distrito Federal, Brasil. Está ocorrendo uma forte opressão política.

Uma nova bactéria milagrosa foi descoberta por cientistas na área amazonense. Ela é capaz de regenerar e unir tecidos de corpos diferentes em um indivíduo da mesma espécie sem possibilidade de rejeição, dando-lhe uma vida normal novamente.

Óbvio que outros países se interessaram por tal descoberta e querendo tirar proveito viram nela uma fonte altamente lucrativa principalmente após a guerra. Então, a exploração começa e junto com ela brigas políticas entre países. Outro interessado na tal descoberta é o “mercado negro”: médicos inescrupulosos iniciam as cirurgias clandestinamente e algo de errado começa a acontecer com as gerações futuras.

As pessoas que sobreviveram a guerra agora estão divididas dentro de distritos e são vigiadas 24h por dia devido a uma grande ameaça que vive fora dos muros que hoje servem de lar para todos.

Vou falar um pouco sobre alguns personagens:

O Sargento Claudio, um personagem humanista, e sua equipe são destinados a missões fora dos muros do distrito. Deixam também suas famílias para trás, além de todos os perigos enfrentados pelos sobreviventes e a escassez de comida. Eles ainda têm que lidar com alta radiação (resquício da guerra de outrora).

Sandra é uma personagem que me intrigou. Uma cientista de outro distrito. Personagem feminina forte e inescrupulosa, aquela famosa lobo em pele de cordeiro. Fiquei chocada com suas atitudes.

O antagonista é o Comandante Vermelho, vulgo Robson, um homem macabro, sádico (tortura e pancadaria é com ele mesmo) e insano. É um show a parte! Pior que eu gostei dele!

Os estranhos são pessoas comuns, soldados lacerados na guerra. Eles foram as primeiras cobaias da Ictus Vitae em clínicas clandestinas devido ao baixo custo, porém foram utilizadas partes de corpos diferentes, pele de cor diferente, tamanho de membros diferentes e eles se tornam os “estranhos”. Acabam se tornando a escória da sociedade devido às suas deformidades.

Os caçadores têm genética modificada, seres sem melanina, completamente brancos, hiper fortes, irracionais, caçadores natos e se regeneram rapidamente, sendo bem difícil matá-los.

Os capas brancas são um grupo extremista religiosos que acreditam que os caçadores são criaturas divinas. Fazem escambo em troca de comida e itens importantes. Eles dão seres humanos aos caçadores. Sim! Imagine, rs.

Ictus é um livro complexo e completo. Fala sobre, política, economia, religião e tecnologia. É uma dura crítica social, em que há muitas cenas de pura brutalidade, palavrões, sangue e vísceras pútridas! Do jeito que eu gosto!

Outro ponto que me intrigou muito de forma positiva foi o autor ter criado um armamento pesadíssimo e diferenciado que necessita de até uma veste específica para manejo. Quando apresentada ao armamento, fiquei de boca aberta e estasiada. Incrível.

As cenas são muito bem descritas pelo autor. Fiquei aflita durante a leitura. Há muita ação, suspense, pancadaria. Sofri com a perda de vários personagens.

O autor toca em assuntos como escravidão, experiências com humanos, amizade verdadeira, amor, ódio e esperança. É um livro para reflexão. A que ponto chega um ser humano para sobreviver sob condições extremas? Você consegue se ver nesta mesma situação? Nesta obra você verá a crueldade e insanidade dos “seres humanos” em diversas páginas. Vai chocar, embrulhar o estômago e te tirar o chão!

Gosto também de sempre falar sobre as capas das obras: achei essa capa muito bonita e bem feita. Reflete bem o conteúdo do livro.

As narrativas em primeira pessoa sempre me fascinam e sem dúvida são minhas preferidas. Com este livro não pôde ser diferente. Várias vezes durante a leitura engoli seco e fiquei com os olhos marejados. Os personagens são cativantes e bem explorados. Isso me aproxima de tudo. Além de, claro, o autor escrever muito bem, possibilitando uma leitura fluída.

Quero ver o que me espera nos próximos volumes desta trilogia, porque o final que ficou em aberto neste livro me deixou sem dormir por alguns dias; fiquei criando teorias e tudo mais! Sem dúvida, será uma das poucas séries que lerei com prazer todos os demais livros! Me encantei com a escrita do autor. Agradável, intensa e cativante.

Digo que devido a autores como o Eduardo é que tenho orgulho dos autores nacionais contemporâneos. Nosso país tem diversos problemas sociais, de saúde, segurança e tudo o mais (que já estamos cansados de assistir nos noticiários diariamente), mas também há muita gente boa e que manda muito bem, e são essas pessoas que temos que valorizar e incentivar!

Por pessoas assim como o Eduardo foi que entrei de cabeça no projeto do Blog e d’A Taverna! Somente pelo prazer em disseminar a literatura nacional e mostrar do que nossos autores são capazes!

Este livro é uma relíquia entre nossas obras nacionais e vai para o meu Ranking das melhores leituras de 2018!

Se gosta de ficção cientifica, ação, suspense e pancadaria, essa obra deve ser lida por você também!

Compre na Amazon através deste link e ajude a manter o Blog. \o/

Espero que tenha gostado da resenha e se interessado em ler esta obra. A gente se vê na próxima segunda-feira!


Curte A Taverna? Quer estar por dentro de tudo que postamos e/ou produzimos? Assine nossa newsletter; curta nossa página no Facebook; e nos siga no Instagram!

Siga_nos_instagram