Saudações, viajantes!

Dando sequência às resenhas referentes a Mistborn, trago a vocês, hoje, a análise de uma novela ambientada na Primeira Era de Scadrial: Mistborn – História Secreta (Secret History).

Quero deixar claro que não é recomendável a leitura da novela nem desta resenha caso não tenha fechado a leitura de toda a Primeira e Segunda Eras. Em reforço ao meu alerta, seguem palavras do Sanderson acerca dessa questão, presentes no prefácio da novela:

“Esta estória contém spoilers enormes dos três primeiros romances Mistborn. Sério, por favor não leia isto caso não tenha lido esses livros. Eu, na verdade, preferiria que você esperasse até concluir o livro seis, Braceletes da Perdição, porque algumas revelações nesta estória irão estragar um pouco de tal livro também.”

SANDERSON, Brandon. 2016.

Perdeu alguma resenha relacionada à franquia? Deseja ler? Eis os links:

Conto Mistborn – O Décimo Primeiro Metal [Resenha]

Mistborn – O Império Final [Resenha]

Mistborn – O Poço da Ascensão, de Brandon Sanderson [Resenha]

Mistborn – O Herói das Eras, de Brandon Sanderson [Resenha]

Mistborn – A Liga da Lei, de Brandon Sanderson [Resenha]

Conto Mistborn – O Alomântico Jak e as Fossas de Eltania, de Brandon Sanderson [Resenha]

Mistborn – As Sombras de Si Mesmo, de Brandon Sanderson [Resenha]

Mistborn – Os Braceletes da Perdição, de Brandon Sanderson [Resenha]

cosmere_symbol

Contexto.

Assim como O Décimo Primeiro Metal (The Eleventh Metal) e Alomântico Jak e as Fossas de Eltania (Allomancer Jak and the Pits of Eltania), Secret History está presente no livro Arcanum Unbounded, que é uma coletânea de diversos textos ambientados no Cosmere, o universo criado por Brandon Sanderson. O livro em questão ainda não tem tradução. No entanto, é sabido que, felizmente, a LeYa publicará toda a saga Stormlight ArchiveWarbreaker; e Arcanum Unbounded nas terras tupiniquins — embora não tenhamos, ainda, datas exatas.

wp-1481563844286

cosmere_symbol

Resenha.

Confesso que por pouco não desisti de fazer esta resenha, pois não consegui pensar em como eu seria capaz de escrevê-la sem passar nenhum spoiler. Pois bem, decidi que, sim, iria escrevê-la, mas de uma forma mais curta, exatamente evitar problemas. E fiquem tranquilos(as): não haverá spoilers da obra — apenas uma ou outra menção sobre eventos dos livros anteriores.

Mas, então, o que esperar desta novela?

A narrativa — como sempre, em terceira pessoa limitada — passa-se entre o exato clímax de Império Final e o fim de Herói das Eras. É isso mesmo: são 3 anos passados em menos de 200 páginas.

Tudo começa com um sensacional POV (ponto de vista) de nosso queridíssimo Kelsier, momentos antes de ele ser (estou avisando pela última vez: cuidado com spoilers da Primeira Era) morto pelo Senhor Soberano. É muito interessante sabermos o que passa pela cabeça dele durante seus suspiros derradeiros.

Na sequência (não falarei qual POV é/quais POVs são), temos acesso a vários bastidores dos eventos da Primeira Era. Só para vocês terem ideia de quão incrível é esta novela, ressalto que há (várias) cenas com personagens míticos da franquia, tais como o Senhor Soberano, Ruína e Preservação.

Além desses grandes figurões exclusivos de Mistborn, também encontramos com o principal personagem de todo o universo de Sanderson: o misterioso Hoid. Sim, meus amigos e minhas amigas, essa novela não é brincadeira. Embora sejam poucas páginas, várias são as revelações.

Falando no Hoid, julgo extremamente pertinente ressaltar que esta é obra do autor — dentre dezenas de livros que ele já escreveu até hoje — em que mais se fala do Cosmere como um todo e em que mais entendemos suas leis universais e estrutura. Se você é fã de Mistborn, mas deseja expandir suas leituras do Sanderson, afirmo que esta é uma leitura perfeita para começar sua expansão.

Aqui, você começará a entender sobre as Shards; Investidura; Conexão; e, o mais interessante, os planos da existência (Reino Físico, Reino Cognitivo, Reino Espiritual e Além). Inclusive, graças à minha leitura desta novela que consegui aceitar melhor o clímax de Braceletes da Perdição, o qual critiquei veementemente na minha resenha sobre tal livro.

Em que pese História Secreta ser mais um pano de fundo para compreendermos melhor a Primeira Era, a novela possui, sim, um plot (trama) próprio. Eu não o considerei a coisa mais divertida do mundo, mas é interessante. Nesse sentido, para mim, o que é mais sedutor na obra é a questão do pano de fundo à Primeira Era.

Em suma, posso afirmar, com convicção, que adorei e me diverti bastante. Contudo, eu tenho uma crítica fortíssima a fazer ao Brandon à cena de conclusão do clímax, que deveria ter sido a mais emocionante de todas, mas que — assim me pareceu — foi escrita com um descaso tenebroso, dada a magnitude da questão ali tratada. A meu ver, valeria um maior investimento de tempo e a aplicação de um maior empenho na escrita dessa passagem; ela merecia. Mas, enfim, ainda assim, emocionei-me demais da conta. Foi bem satisfatório. Deveras!

De qualquer modo, esta obra é uma leitura obrigatória para todos os fãs da série! Vale a pena demais!

cosmere_symbol

Considerações derradeiras.

Então, pessoal, era isso que eu tinha a dizer sem spoilers. Eu poderia falar muito mais. No entanto, não quero correr o risco de estragar a leitura de vocês. Lembrando que a sessão de comentários está sempre aberta para quem quiser iniciar uma conversa aprofundada. Lembrando que, se for haver spoiler(s) no comentário, avise antes.

Caramba, só agora que atinei ao fato de que não há mais nenhum texto de Mistborn para ser lido e resenhado! Bom, o que nos resta é sentar e aguardar o lançamento do livro 7, que não demorará, creio.

Vejo-os na próxima! Até breve!

P.S.: “Sempre há outro segredo”,

Kelsier.

cosmere_symbol


Curte A Taverna? Quer estar por dentro de tudo que postamos e/ou produzimos? Assine nossa newsletter; curta nossa página no Facebook; e nos siga no Instagram!

Siga_nos_instagram