Foram horas olhando para a tela do computador, digitando, lendo, relendo, reescrevendo… ufa, acabou. Agora é só enviar para alguma revista e aguardar a publicação, certo? Errado! De nada vai adiantar todo esse esforço se você não tiver em mente que outros fatores são essenciais para que sua obra seja publicada.

Sabendo disso, separamos algumas dicas que aumentarão, de forma significativa, suas chances de ser publicado, tanto aqui no Brasil, quanto lá fora. 

A ideia aqui é praticidade; fizemos de tudo para simplificar ao máximo cada dica. Algumas delas precisarão ser adaptadas de acordo com o mercado e/ou revista no qual você pretenda publicar.

Sem mais delongas, vamos lá:

 

1 – Valorize a primeira página

Já ouviu falar que a primeira impressão é a que fica? Então, tenha isso em mente quando estiver escrevendo sua história. A grande quantidade de contos recebidos pelas revistas faz com que seja inviável ler todos na íntegra. Sendo assim, os responsáveis pelas primeiras leituras acabam rejeitando contos que apresentam problemas já na primeira página, ou que, simplesmente, são desinteressantes. Pode parecer injusto, mas a grande concorrência faz com que a prática seja adotada pela maioria das revistas. Dificilmente um conto que começa mal melhorará no decorrer da narrativa.

 

2 – Revise

Vamos deixar uma coisa clara: antes de submeter qualquer texto, revise-o. Não estamos falando de uma revisão profissional; sabemos que isso seria inviável para a maioria. Entretanto, é imprescindível que você tenha pessoas que possam ler seu texto antes que você o envie. Sabe aqueles leitores betas que mandam bem no Português? Seria ótimo contar com a ajuda deles para pegar algumas escorregadas que você deixou passar. É comum não identificar erros bobos depois de tanto tempo lendo e relendo. Seu texto não precisa estar perfeito, mas erros crassos são determinantes para a rejeição. Três erros/vícios graves e recorrentes: concordância verbal, grafia e uso exacerbado de advérbios, pronomes e artigos.

revisão

3 – Invista na carta de apresentação

Quem é você? Vamos fugir da questão filosófica aqui e ir direto ao que interessa. Se a revista solicita uma carta de apresentação, significa que ela também é importante para que o conto seja selecionado. Por meio dela, você terá a chance de se apresentar e falar sobre sua trajetória. Acredite: só pela carta de apresentação já dá para ter uma ideia de quão profissional e comprometido é o escritor. Fale sobre suas publicações, premiações e atividades relacionadas ao meio literário. O intuito da carta não é eliminar, apenas saber mais sobre quem está submetendo o conto. Seja direto. Limite-se a fornecer informações que digam respeito à sua trajetória na escrita. E, sempre, não só aqui como na vida, seja cordial. Não tente ser irreverente. Piadas fora de hora nunca são uma boa ideia. Explore sua criatividade no texto submetido.

4- Fuja dos clichês

Ao terminar de ler seu conto, vamos perceber que foi tudo um sonho? O futuro da humanidade depende da personagem principal? Sentimos dizer: as chances de sua história cair nas graças de algum editor diminuíram drasticamente. Pode até ser que, mesmo fazendo uso de clichês, você consiga trazer algo revolucionário. Entretanto, editores e leitores já viram tantas histórias assim que as chances de você receber atenção são mínimas. Permita-se testar narrativas inusitadas, investir em diversidade e ousar.

 

5 – Conheça a revista

Nada melhor para conseguir a tão sonhada publicação do que ler edições anteriores da revista para a qual pretende submeter seu conto. Não basta saber quais gêneros ela publica. Se você realmente quer ter uma vantagem, leia contos já selecionados por aqueles editores. Fica mais fácil perceber se o texto está em sintonia com a revista ao consumir o que ela publica. Suas chances aumentarão de forma significativa.

Usando o prazo

6 – Respeite as regras

Sabe aquelas regras de envio e formatação? Tipo e tamanho da fonte, espaçamento entre linhas, margens e outras? Elas não estão ali por acaso. É fundamental que você respeite todas as regras mencionadas. Pense conosco:  por que um editor deveria se dar ao trabalho de ler seu conto, se você não se deu ao trabalho de ler as regras de submissão? Além de demonstrar profissionalismo e respeito com os editores, elas facilitam as avaliações dos contos.  A escolha de fontes como Courier e Times New Roman ajuda a identificar erros de grafia. Margens e espaçamento entre linhas servem para que os editores façam correções e comentários no decorrer dos textos. Regras de envio ajudam a equipe a manter o processo de seleção organizado.

 

7 – Use o prazo de envio a seu favor

Se há uma data limite para o envio de contos, aproveite ao máximo o tempo que você tem. Aqui n’A Taverna, por exemplo, costumamos dar cerca de três meses para o envio. Mesmo com tempo para aprimorar a obra, é comum recebermos contos no primeiro mês que, se fossem melhor trabalhados, teriam chances de publicação. Não tenha pressa. Um conto praticamente pronto para a publicação sempre terá vantagem sobre outro que precisará ser retrabalhado.

8 – Não desista

Para finalizar:

Não desista, tente outra vez, uma hora vai, os humilhados serão exaltados, antes tarde do que nunca… Enfim, qualquer mensagem que faça com que você continue tentando. No geral, a regra aqui é rejeição. Stephen King e outros grandes autores passaram por isso; com você não será diferente. A quantidade de contos recebidos pelas revistas é gigantesca. Podemos afirmar, com convicção, que mais de 95% dos contos que a maioria das revistas recebe são rejeitados. Sendo assim, não fique mal ou leve para o pessoal. Em vez disso, trabalhe. Escreva vários contos e passe a enviá-los para revistas diferentes. O conto X foi rejeitado pela revista Y? Envie-o para a revista Z e mande outro para a revista Y. Quanto mais contos você tiver, mais chances terá de ser publicado.

Ficou alguma dúvida? Já para os comentários! Queremos ajudar e faremos de tudo para responder o mais rápido possível!

 

Curte A Taverna? Quer estar por dentro de tudo que acontece por aqui? Assine nosso Diário de Viagem; curta a página no Facebook; e nos siga no Instagram!